15 May 2011 ~ 3 Comments

A Obsolescência Programada, um dos segredos do capitalismo

Já notaram como uma bateria que compramos para substituir a original de um produto, seja de um celular, telefone sem fio ou notebook, por exemplo, nunca dura tanto quanto a bateria original? Ou como as impressoras jato de tinta se recusam a imprimir do nada, exigem trocas de cartuchos cada vez mais rápidas? Compramos uma máquina de lavar, e em pouquíssimos anos elas já esta parando de funcionar e exigindo manutenção, geralmente tão cara que nos leva a comprar um produto novo?

É muito comum notarmos como os produtos mais antigos duravam mais, eram mais confiáveis, e funcionavam até por décadas. Muitas vezes vemos esse mecanismo como apenas uma redução de custo das empresas, através do uso de materiais mais baratos e piores.

Mas a coisa vai mais a fundo. Desde a o inicio do século XX os capitalistas começaram a ver que produtos duráveis nem sempre eram vantajosos para os seus lucros, e que poderiam intervir nisso. Em especial na segunda metade do século XX um novo conceito se estabeleceu, a obsolescência programada. Seja através do design, da durabilidade, pela redução da manutenibilidade de produtos, o capitalismo busca fazer não produtos melhores, mas piores.

Confiram essa fundamental história no documentário abaixo. Esta narrado e legendado em espanhol mas dá para acompanhar bem, mesmo para quem não conhece a língua.

Nele temos casos sensacionais, como o cartel das lâmpadas, que reduziu sua longevidade de 2500 horas ou mais para 1000 horas, o caso da bateria dos ipods, das meias de Nylon iniciais, praticamente indestrutíveis, e de outros produtos que mostram que o capitalismo anda há tempos em rota de choque com um mundo de recursos naturais em esgotamento.

[UPDATE] O vídeo online saiu, mas tem link para download nos comentários.

%d bloggers like this: